Tempos áureos...

Foi sob a presidência de Alberto Câmara Manoel que o Lusitano aposta fortemente no ataque à subida para a 1ª Divisão Nacional. Muito apoiado por agricultores latifundiários e outras pessoas com cargos sociais importantes que financiariam a aposta na subida de divisão. O Lusitano conseguiria a tão desejada conquista da II Divisão Nacional na época desportiva de 1951-1952.

A Fotografia ao lado, retrata a festa da subida à I Divisão Nacional, na Rua João de Deus em Évora com uma multidão a festejar, onde se destaca o jogador Pepe que faria todo o percurso desde o Campo Estrela às costas de pessoas que eufóricas percorreram vários locais da cidade.

Em 1952-1953 seria a época de estreia do Lusitano entre a elite do futebol Português, onde permaneceu durante 14 épocas consecutivas. Com a presença do Lusitano na I Divisão Nacional existiu um crescimento exponencial de sócios que para além de Évora, vinham também de outras localidades do Distrito e não só.

Nos dias de jogo principalmente contra os considerados clubes grandes, havia sempre uma grande afluência de pessoas vindas de vários pontos do Distrito e do Alentejo em geral. Évora enchia-se de gente e o comércio da cidade tinha bastante afluência nestes dias. Os jogos no mítico Campo Estrela eram sempre consideradas pelos adversários jogos de dificuldade muito elevada, e por algumas vezes os considerados clubes grandes perdiam pontos em Évora.

A melhor prestação do Lusitano na I Divisão Nacional seria um 5º lugar na época 1956-1957, alcançando 30 pontos, ficando a apenas 11 do SL Benfica que seria o campeão nessa época. Na Taça de Portugal o Lusitano conseguiria também excelentes prestações onde chegou por duas ocasiões às meias-finais da prova, na época 1952-1953, perdeu com o FC Porto com um resultado agregado de (4-2) e em 1958-1959 perdeu novamente com o FC Porto com um agregado de (10-1). Nos quartos-de.final o Lusitano esteve por duas ocasiões onde seria eliminado em 1954-1955 pelo Sporting CP e em 1963-1964 pelo SL Benfica. Os oitavos-de-final da prova foram disputados por cinco ocasiões, na época1953-1954, onde foi eliminado pelo Vitória de Setúbal, em 1955-1956 perdeu com o Barreirense, em 1956-1957 perdeu com SC Covilhã, e por último em 1957-1958 seria novamente o Barreirense a eliminar o Lusitano.

Foi durante estes anos que o Lusitano foi o clube de referência de uma cidade e também de uma região, realizando digressões por Espanha e continente Africano, chegou também por duas vezes a ter agendado um encontro amigável com o Real Madrid FC que nunca se chegaria a realizar, na primeira vez o Lusitano não conseguiu alterar o jogo que tinha  para o campeonato contra o Barreirense e na segunda tentativa uma forte tempestade assolou Madrid ficando o jogo no estádio Chamartin (agora Santiago Bernabéu) cancelado.

Resultados históricos:

Seleção Guiné 3 : 3 Lusitano

Real Bétis 1 : 1 Lusitano (1958)

Lusitano 5 : 1 Boavista (1952)

Lusitano 2 : 0 Sporting CP (1952)

Lusitano 3 : 0 FC Porto (1952)

Lusitano 3 : 0 Vit. Guimarães (1953)

Lusitano 3 : 2 SC Braga (1953)

Lusitano 2 : 0 FC Porto (1953)

Lusitano 3 : 1 SC Braga (1953)

Lusitano 2 : 1 Vit. Guimarães (1954)

Lusitano 2 : 1 Boavista (1954)

Lusitano 2 : 1 Sporting CP (1955)

Lusitano 2 : 1 FC Porto (1955)

Lusitano 4 : 1 SC Braga (1955)

SC Braga 0 : 2 Lusitano (1955)

Lusitano 4 : 3 SC Braga (1956)

Lusitano 2 : 1 Sporting CP (1956)

Lusitano 3 : 2 FC Porto (1956)

SL Benfica 2 : 2 Lusitano (1956)

Sporting CP 1 : 1 Lusitano (1956)

Lusitano 4 : 0 SL Benfica (1957)

Lusitano 3 : 2 SC Braga (1957)

Lusitano 3 : 3 Sporting CP (1958)

Lusitano 3 : 1 SC Braga (1958)

Lusitano 1 : 0 Boavista (1959)

Lusitano 1 : 0 Vit. Guimarães (1960)

Lusitano 2 : 2 Sporting CP (1960)

Lusitano 3 : 2 SC Braga (1960)

Lusitano 3 : 0 Vit. Guimarães (1960)

SC Braga 0 : 1 Lusitano (1961)

Lusitano 1 : 1 Sporting CP (1964)

Lusitano 0 : 0 SL Benfica (1965)

Lusitano 2 : 0 SC Braga (1965)

Lusitano 0 : 0 FC Porto (1965)

Lusitano 6 : 1 SC Braga (1966)

Fotografia:

Lusitano : SL Benfica (Campo Estrela, Évora)